sábado, 26 de dezembro de 2009

A colcha de retalhos chamada Avatar

Boa tarde!


Não lembro quando foi a primeira vez em que ouvi falar de Avatar, lembro que ao ver o nome "James Cameron" vinculado ao projeto já comecei a contar os dias para ver o filme. Desde o dia em que Cameron ganhou seus 11 Oscar por Titanic o mundo espera pelo seu próximo filme e mais de 10 anos se passaram entre um e outro.

Neste último dia 18 de dezembro finalmente chegou aos cinemas a aposta mais ambiciosa do cinema dos últimos anos, mais de 500 milhões de dólares foram gastos na produção de Avatar. Ontem, com atraso de uma semana, fui ver o filme...
Sinopse: Jake é um ex-fuzileiro paralitico cujo irmão gêmeo participava de um programa chamado Avatar no distante lua chamada Pandora, povoada por uma raça chamada Na´vi. A missão de Jake é se infiltrar neste povo e descobrir como eles vivem e achar uma forma de convence-los a mudar de local, pois embaixo de onde eles vivem existe um enorme depósito de uma substância que vale bilhões de dólares. No entanto Jake se apaixona pelo povo e por uma habitante em especial, ficando em dúvida de qual lado deve ficar.

O filme: Matrix, Alien e todas as hisórias de amor possiveis e imagináveis. Avatar não é original e nem de longe um clássico da ficção cientifica, muito menos do cinema como um todo, nem os efeitos especiais, alardeados como inovadores, são tão incríveis assim. Avatar ficará marcado apenas como o filme (por enquanto) mais caro da história.
Explico o motivo da comparação a colcha de retalhos: O filme é formado por diversas histórias já contadas, só que de forma diferente. A questão da mudança de corpos pode ser confundida com a mudança de realidades de Matrix. Os robôs gigantes controlados por seres humanos já foram vistos em Alien e também em Matrix e ahistória de alguém que finge ser outra pessoa e se apaixona e muda de lado é muito mais do que batida...

O roteiro é realmente o ponto mais fraco da história e isso não ajudou os atores a criarem personagem marcantes e ou cativantes, todos eles passam e não ficaram marcados como outros personagens do próprio Cameron (O exterminador, o casal de True Lies e até mesmo Jack e Rose). As atuações são todas medianas.
A trilha sonora não ajuda, além de parecer muito com Titanic (inclusive a canção tema). Os momentos que deveriam ser tensos e emocionantem perdem a sua força. A edição é normal, sem grande iventividade.

A direção de Cameron foi competente, apesar dos furos citados acima, Avatar é um filme gigantesco extremamente detalhado e com um visual rico, o que com certeza deu um trabalho enorme para fazer funcionar.

Os efeitos especiais são muito, muito bons, mas não inovadores, pelo menos não para mim. O que vi lá, já vi em outros filmes. Claro, está tudo muito realista, nada diferente de King Kong ou Transformers. Esperava um filme em que eu não soubesse para que canto da tela olhar, como medo de perder algum detalhe e foi isso que encontrei.
Recomendação: Pode ir assistir sem medo é um bom filme e merece ser visto no cinema.

15 comentários:

Thiago Paulo disse...

Sabe que oque não gosteio em avatar foi a trilha sonora, assim como você, achei muito parecida com Titanic... E não sei porque essas músicas temas, bem que poderia ser um melhorzinha, né? Mas, fora isso, gostei do resto... achei a mensagem legal, elenco..Oque vc leu lá no meu blog.

Abração! E ai, chegou na marca que queria pra sua coleção de dvds?

Luis Galvão disse...

Acho que uma coisa não se pode negar de jeito nenhum, toda a tecnologia de 'Avatar' surpreende. Dito isso, eu o achei épico, não clássico. Grandioso. E me conquistou muito. Mas uma coisa que você disse é certo: o roteiro é a parte menos inspirada do filme.

O Cara da Locadora disse...

Eu discordo, acho que o filme se tornará um clássico... Mas isso só o futuro mesmo dirá, rs...

Marcos Ribeiro disse...

Thiago: Realmente...a trilha foi a maior decepção...não prestei atenção em quem foi o responsável...Quanto aos DVDs bati os 300 que queria até o fim do ano...ano que vem a meta é 400!! srsr...

Luís: Grandioso...realmente essa é a melhor palavra pra definir o filme, faltou apenas um roteiro melhor.

Cara da Locadora: Clássico...acho dificil...

Cristiano Contreiras disse...

Discordo de TUDO que você escreveu, meu caro. Avatar é uma das coisas mais belas já realizadas - não se restringe só aos efeitos especiais.

Achei a trilha sonora de James Horner a cereja do bolo, inclusive!!

Sem falar no roteiro, nas atuações, em cada cena memorável.

Mas, gosto é gosto. Fato.

Abraço

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Uma rectificação: o filme não custou 500 milhões de dólares: há duas verões: 250 milhões e 300 milhões. Nunca um filme custou 500 milhões - mas há-de chegar um dia que algum custe!

Quanto ao filme (que também já critiquei no meu blog) achei desequilibrado em termos de argumento. Não admira que os efeitos especiais não sejam inovadores, uma vez que todos os efeitos especiais dos filmes citados foram concebidos pela empresa digital WETA de Peter Jackson...

Marcos Ribeiro disse...

Oi Cristiano: Que bom que discordou! Isso é o legal dos blogs, as diversas opiniões sobre uma mesma coisa! Obrigado pelo comentário!

Homem que sabia...: O custo de produção do filme ficou realmente em 250 milhões, no entanto, seu custo total, considerando ai a campanha de marketing ficou em 500 milhões de dólares, tornando-o assim o filme mais caro da história (até o momento...). Segue link de uma das várias reportagens que informam o custo de avatar: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u667225.shtml. Já me tornei seguidor do teu blog!

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Obrigado Marcos!

Roberto F. A. Simões disse...

Estou de acordo com você. Manta ou Colcha de retalhos é mesmo a melhor expressão para descrevê-lo!

Cameron ocupou-se em deslumbrar-nos com a tecnologia, mas esqueceu-se da importância do argumento, dos actores...

Enfim, não fiquei desiludido. Mas vejo perfeitamente aqui uma oportunidade desperdiçada de ter uma obra-prima.

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD - A Estrada do Cinema

Marcos Ribeiro disse...

Roberto: Realmente...uma oportunidade desperdiçada...

it was RED - Para quem gosta de cinema disse...

Olá! Embora eu tenha achado os efeitos inovadores, esses não provocaram praticamente nada em mim; se a estética não me atraiu, restou-me apenas o roteiro, que é fraco e clichê. Assim, no fim não sobrou nada.

Abraço!

Amanda Aouad disse...

Talvez eu tenha gostado porque, ao contrário de você, não esperava nada do filme. Ele me conquistou, não apenas na riqueza de detalhes do mundo de Pandora, mas também na saga, mesmo que uma junção de muita coisa já vista, você esqueceu de citar a principal fonte: Pocahontas.
Os personagens são tipos, foram concebidos assim, mas há uma complexidade no mundo e na civilização na´vi e muitas vezes me identifiquei, emocionei, como na cena da grande árvore.
Não conhecia o seu blog, gostei.
abraços e feliz 2010.

Nekas disse...

O filme não é mau, no entanto devia e poderia ser muito melhor...
É pena que fique desperdiçado, talvez com a sequela, já confirmada, melhore.

Abraço
http://nekascw.blogspot.com/

Marcos Ribeiro disse...

Red: Adorei a sua critica no teu blog...é um filme que não mexe com a gente mesmo...

Amanda: Verdade...a maior fonte foi realmente Pocahontas. Acho que o fato de você não esperar nada do filme realmente tenha feito você gostar mais dele...quem sabe quando eu assistir uma segunda vez... Seja bem vinda ao blog! Espero que volte mais vezes...

Marcos Ribeiro disse...

Oi nekas...realmente vamos esperar a continuação pra ver se melhora! Afinal Exterminador 2 bateu em muito o 1º não é mesmo?